Como Investir na Bolsa de Valores passo a passo

investir na bolsaMuito se fala sobre a Bolsa de Valores nos jornais, na televisão, etc. Inclusive, às vezes você deve ouvir recomendações de compra ou venda de determinadas ações com frequência, mas antes de aprender como investir na bolsa, é preciso entender como a bolsa funciona.

O que é uma Bolsa de Valores?

É um mercado (ou ambiente) onde são realizados negócios com ações, títulos de renda fixa, títulos públicos federais, contratos futuros, moedas, entre outros. Neste artigo, vamos focar nas ações.

O que é o mercado de ações?

Ações são pequenos pedaços (cotas) de uma empresa. Imagine que João, Paulo e Roberto são os donos (sócios) de uma empresa. Em determinado momento, eles decidem que precisam captar dinheiro para investir e aumentar os negócios. Eles têm muitas opções para fazer isso; cada um pode aportar um valor para a empresa, eles podem procurar um empréstimo bancário, ou ainda podem convidar um novo sócio disposto a comprar uma parte da firma. Essa última opção pode ser concretizada também pela abertura de capital da empresa. O que é isso? A abertura de capital ocorre quando os sócios de uma empresa decidem vender parte dela para o mercado de ações. Eles dividem essa parte da empresa em diversas cotas (ações) e oferecem essas cotas para o mercado em busca de compradores. Dessa forma, em vez de apenas ter um novo sócio, a empresa terá agora muitos sócios: qualquer investidor que comprar uma ação da empresa torna-se um sócio. Nesse artigo não vamos entrar nos detalhes sobre a a abertura de capital de uma empresa, apenas queremos que você entenda o conceito.

Por que uma ação sobe ou cai?

Depois que uma empresa abriu seu capital (vendeu suas ações para todos os investidores que optaram por comprar o papel – observação: “papel” é uma gíria do mercado para se referir ao código das ações), a empresa ficou com o dinheiro arrecadado. De agora em diante, qualquer notícia positiva fará com que novos investidores queiram comprar os papéis da empresa, afinal ela está demonstrando saúde financeira, boa administração, etc. Mas esses papéis já estão na mão de outros investidores. Então como fica?

Quem comprou uma ação por R$ 10,00, por exemplo, e viu uma notícia boa sobre a empresa depois de comprar, certamente não estará disposto a vender sua ação pelos mesmos R$ 10,00. Uns estarão dispostos a vender por R$ 10,40; outros estarão dispostos a vender por R$ 10,55; outros por R$ 10,35, etc. Digamos que ninguém está disposto a vender por menos de R$ 10,30. Por outro lado, vários investidores estão interessados em comprar por R$ 10,15; outros R$ 10,20; outros R$ 10,25 e ninguém está disposto a comprar por mais de R$ 10,29. Com isso, não há negócio. Nessa situação hipotética, essa ação ainda não apresentou fechamento no dia. De repente, alguém decide vender suas ações por R$ 10,29. Como haviam pessoas interessadas em comprar por esse preço, há negócio fechado na bolsa. A ação que estava R$ 10,00 passou agora para R$ 10,29, pois esse foi o último fechamento (negócio mais recente). Esse exemplo é puramente ilustrativo; na prática, existem milhares de pessoas comprando e vendendo, portanto as ações não apresentam somente um negócio por dia. Ações de grandes empresas possuem dezenas de milhares de negócios todos os dias. Cada segundo que passa há muitas negociações.

Empresas pequenas, por outro lado, podem passar vários dias sem nenhuma negociação em seus papéis. É o que chamamos de pouca liquidez. Empresas grandes possuem muita liquidez. Repare que “liquidez” não significa que a ação está subindo ou caindo, apenas significa que está sendo negociada.

Onde as ações são negociadas?

A principal bolsa brasileira é a Bovespa. Pessoas físicas precisam de uma corretora para poder operar na bolsa. Na prática, isso significa que você precisa operar por meio da corretora (você diz para a corretora o que você quer fazer e a corretora compra ou vende para você). Então se você for olhar quais foram os negócios fechados no último minuto em uma determinada ação, não vai encontrar nomes de pessoas (Fernando vendeu 100 ações da Vale a R$ 15,20 para Isabela). Vai encontrar algo como: XP vendeu 100 ações a R$ 15,20 para Agora. Nesse caso, Fernando e Isabela estão utilizando as corretoras XP e Agora, respectivamente, para operar na bolsa. Atualmente, a evolução da internet possibilita que você opere de seu próprio computador, sem precisar ligar para a corretora. É a chamada operação por Home Broker. Toda corretora possui um Home Broker, é um site (ambiente virtual) onde você entra por meio de um usuário e senha fornecidos pela corretora. Nesse ambiente virtual, você pode visualizar a cotação de todas as ações que quiser, em tempo real, e executar compras ou vendas a qualquer momento.

Primeiro você transfere o dinheiro para a conta da corretora e depois este dinheiro irá aparecer no seu Home Broker como “valor disponível para investimentos”.

Como você faz para poder operar na Bolsa?

Primeiramente, como você já deve ter percebido, é preciso abrir uma conta em uma corretora. Criamos um artigo explicando detalhadamente como fazer isso (como comprar ações). Sobre os custos envolvidos, basicamente o que você precisa pagar para a corretora é um valor fixo por cada operação (negociação realizada de compra ou venda de ações), que costuma ser algo em torno de R$ 14,00 por operação, além de um valor percentual, que costuma variar de 0,5% a 2,0% do valor bruto negociado. Criaremos também um artigo explicando detalhadamente esses custos.

Quais os impostos que você precisa pagar ao operar na bolsa?

Se você tiver prejuízo na sua operação (vendeu sua ação por um valor menor do que comprou), não precisa pagar impostos sobre a operação. Se obteve lucro, precisa pagar 15% de imposto sobre o lucro líquido da operação. Esse imposto é de 20% se você comprou e vendeu no mesmo dia (fechamento de posição no mesmo dia recebe o nome de “day trade“). Porém, se você operou menos do que R$ 20.000,00 no mês, não precisa pagar imposto, mesmo se teve lucros. Faremos um artigo explicando detalhadamente como funciona a tributação na bolsa.

Como decidir o melhor momento de comprar uma ação?

Investir na bolsa de valores requer conhecimento. Existem basicamente duas formas de “estudo” para tomada de decisão: a análise técnica e a análise fundamentalista. A análise técnica se baseia em gráficos e indicadores, buscando identificar padrões gráficos e tendências a partir do histórico da ação e do comportamento do mercado.

analise tecnica

A análise fundamentalista se baseia no estudo financeiro da empresa e das condições gerais de mercado que influenciam na cotação daquela empresa. Por exemplo, quem faz análise fundamentalista da Petrobras estuda sua produção, seu balanço patrimonial, as projeções de preço para o barril de petróleo, as projeções de preço do dólar, perspectivas políticas e econômicas para o Brasil, influências dessas decisões para a Petrobras, etc.

analise fundamentalista

A partir dessas análises (técnica e fundamentalista), você pode tomar uma decisão sobre quando comprar e quando vender uma ação.

Erros Comuns de Iniciantes

Quem está começando a investir na bolsa costuma cometer alguns erros drásticos. Um deles é investir com base em conselhos de outras pessoas e notícias de jornais grandes. Por exemplo, um tio seu comenta em um jantar que as ações das Lojas Americanas estão “bombando”. Aí você compra com base nesse comentário, na expectativa de entrar na onda desse movimento de alta. Porém, seu tio provavelmente entende muito pouco de bolsa de valores, ele deve ter lido em algum jornal que as ações das Lojas Americanas tiveram uma alta expressiva, ou estão subindo forte faz algum tempo. Mas por que isso não pode ser um indicativo para comprarmos esse papel?

Primeiro: o mercado não é bobo. Se fosse tão simples ganhar dinheiro, bastaria acompanhar o fechamento de cada dia, observar as ações que subiram e comprá-las no próximo dia para acompanhar o movimento de alta! Fácil, não? Pena que isso não funciona. Uma ação pode subir na expectativa de um resultado bom do balanço trimestral, aí no outro dia sai o balanço e vem bem abaixo do esperado. Resultado: a ação despenca. E lá está você: comprou no topo e vendeu no fundo. Típico de iniciantes desavisados.

Nunca esqueça o seguinte: subir ou cair não significa que continuará subindo ou caindo. Na maior parte das vezes, quando um jornal solta uma notícia de que uma ação está subindo bastante, é porque já chegou no limite, o mercado está sobrecomprado, e logo deve haver uma correção, pois muita gente comprou na euforia e a ação subiu demais, além do preço justo, a ponto de chamar a atenção da mídia. Então o investidor que acompanha a mídia popular estará sempre comprando no topo. Entenda o seguinte: se saiu na mídia é porque a oportunidade já passou. Você não vai cometer esse erro, certo?

Passo a passo para investir na Bolsa

Iremos trabalhar bastante o estudo de análise técnica aqui no site, mostrando como investir na bolsa de valores de forma consciente. Você irá perceber que operar na bolsa não é complicado, basta que você se dedique um pouco, e a prática irá tornar suas decisões cada vez mais certeiras. Antes de mais nada, você precisa prometer para si mesmo que não irá investir sem ter conhecimento. Isso irá evitar muitas perdas desnecessárias.